- 00:00:00
  • Memorial JK

    Museu em memoria ao criador de Brasília

  • Palácio do Buriti

    Sede do Governo do Distrito Federal

  • Câmara Legislativa

    Sede do Poder Legislativo do DF

  • Ponte JK

    Uma das mais lindas pontes do mundo

  • Salto do Itiquira

    A maior cachoeira do Centro-Oeste

  • Pontão do Lago Sul

    Ponto de encontro do brasiliense

  • Congresso Nacional

    Sede do Poder Legislativo Federal

  • Palácio do Planalto

    Sede do Poder Executivo Federal

  • Palácio da Alvorada

    Residência Oficial do Presidente da República

  • Palácio do Itamaraty

    Sede do Ministério das Relações Exteriores

  • Palácio da Justiça

    Sede do Ministério da Justiça

  • Chapada dos Veadeiros

    Cachoeiras - Maravilhas do cerrado

  • Palácio do STF

    Sede do Poder Judiciário Federal

  • Ipê Rosa

    Brasília, a Capital dos Ipês

  • Ipê Amarelo

    Brasília, a Capital dos Ipês

  • Ipê Branco

    Brasília, a Capital dos Ipês

  • Ipê Roxo

    Brasília, a Capital dos Ipês

CEB deve ser privatizada na Bolsa de Valores de SP hoje

ACEB Distribuição, subsidiária da Companhia Energética de Brasília (CEB), vai a leilão na Bolsa de Valores de São Paulo nesta sexta-feira (4). A privatização da CEB foi aprovada em uma assembleia, com 6.998.430 votos a favor e 1.058 indicações contrárias.  A empresa que será vendida é uma subsidiária da CEB Holding, que controla integralmente a CEB Distribuição, CEB Geração e CEB Participações. Trata-se da primeira privatização no Distrito Federal.



Concorrentes

Equatorial – Com sede em Brasília, o grupo Equatorial atua na distribuição de energia em quatro estados: Alagoas, Maranhão, Piauí e Pará. No total, responde pelo fornecimento de energia a 10% dos consumidores e detém 6,5% do mercado. Também opera na geração de energia e no sistema de telecomunicações.

Neoenergia – A Neonergia, controlada pela espanhola Iberdrola, tem como acionistas a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (PREVI) e o Banco do Brasil Investimentos. A empresa tem 13,7 milhões de clientes distribuídos pelos estados da Bahia, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte e, em cidades do interior de São Paulo, por meio da Elektro. Com forte atuação no segmento de fontes renováveis, a Neoenergia possui parques eólicos na Bahia, no Rio Grande do Norte e na Paraíba e uma usina solar em Fernando de Noronha (PE).

CPFL – CPFL tem a sua origem em São Paulo. Foi privatizada pelo governo de São Paulo nos anos 2000. Hoje, é controlada pela chinesa State Grid, que opera em vários países, como Austrália, Filipinas, Geórgia, Grécia, Hong Kong, Itália, Portugal e Brasil. Atua no Brasil desde 2010 e está presente em 12 estados. Também opera na geração de energia.

O valor mínimo de privatização da CEB Distribuição foi fixado em 1,24 bi. Será uma concorrência lance a lance, subindo cada vez em R$ 15 milhões, até que o martelo do vencedor seja batido.

O leilão é para alienar 100% das ações da CEB. Somente uma empresa pode levar o lote único. A regra é simples: como todas já atenderam os requisitos para participar, vence quem der o maior lance.

Processos

A privatização foi alvo de questionamentos em várias instâncias do Judiciário e no Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF). Deputados e senadores apontaram que a venda deveria passar por análise da Câmara Legislativa (CLDF), mas o entendimento judicial e do TCDF foram contrários.  

Na justiça do DF, as batalhas também foram vencidas pelo governador Ibaneis Rocha (MDB). Ele pretende destinar o dinheiro arrecadado na venda da empresa na área social. Como o GDF detém 80% das ações, o governador do DF, terá mais de 1 bi para aplicar em investimentos.

Na CEB, hoje, são cerca de 900 funcionários, com salários e benefícios altos. Um eletricista  pode ganhar cerca de R$ 22 mil entre renda e vantagens acumuladas. O valor é acima dos pagos por empresas privadas. O presidente da CEB, Edison Garcia; o secretário da Economia, André Clemente; e o presidente do Banco de Brasília, Paulo Henrique Costa, irão acompanhar pessoalmente o processo de venda na capital paulista.

Este conteúdo é resultado do trabalho rigoroso e dispendioso de apuração, checagem e investigação do jornalista Claudio Campos e/ou da Agência 2CNews. Você pode republicar este conteúdo. Todas as republicações devem trazer o nome da agência (Agência 2CNews) e do autor (Claudio Campos) com destaque, na parte superior do textos.

Governo anuncia operação de combate a crimes contra idosos

OMinistério da Justiça informou que foi deflagrada hoje (4) a Operação Vetus. A meta é combater crimes de violência contra idosos em todo o país.



A ação conta com a parceria do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, após constatação de que o total de denúncias de crimes registrados por meio do Disque 100 aumentou durante a pandemia.

A operação terá o apoio de policiais civis de todas as 27 unidades federativas. Mais detalhes sobre esta operação serão apresentados ainda nesta manhã durante coletiva de imprensa no Ministério da Justiça.

Este conteúdo é resultado do trabalho rigoroso e dispendioso de apuração, checagem e investigação do jornalista Claudio Campos e/ou da Agência 2CNews. Você pode republicar este conteúdo. Todas as republicações devem trazer o nome da agência (Agência 2CNews) e do autor (Claudio Campos) com destaque, na parte superior do textos.

GDF estende horário de bares e restaurantes no Natal e no réveillon

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), ampliou o funcionamento de bares e restaurantes nas noites de Natal (24/12) e ano novo (31/12). Segundo o Decreto nº 41.554, publicado no Diário Oficial do DF desta quinta-feira (3/12), os estabelecimentos poderão funcionar após as 23h em 24 e 31 de dezembro.


 


Este conteúdo é resultado do trabalho rigoroso e dispendioso de apuração, checagem e investigação do jornalista Claudio Campos e/ou da Agência 2CNews. Você pode republicar este conteúdo. Todas as republicações devem trazer o nome da agência (Agência 2CNews) e do autor (Claudio Campos) com destaque, na parte superior do textos.

MEC determina volta às aulas presenciais a partir de janeiro

O Diário Oficial da União publica, nesta quarta-feira (2), portaria do Ministério da Educação (MEC), determinando que instituições federais de ensino superior voltem às aulas presenciais, a partir de 4 de janeiro de 2021. Para isso, as instituições devem adotar um “protocolo de biossegurança”, definido na Portaria MEC nº 572, de 1º de julho de 2020, contra a propagação do novo coronavírus (covid-19).



O documento estabelece ainda a adoção de recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação ou outros meios convencionais, que deverão ser “utilizados de forma complementar, em caráter excepcional, para integralização da carga horária das atividades pedagógicas”.

O texto da portaria diz, também, que as “práticas profissionais de estágios ou as que exijam laboratórios especializados, a aplicação da excepcionalidade”, devem obedecer as Diretrizes Nacionais Curriculares aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), “ficando vedada a aplicação da excepcionalidade aos cursos que não estejam disciplinados pelo CNE”.

O documento estabelece, que, especificamente, para o curso de medicina, “fica autorizada a excepcionalidade apenas às disciplinas teórico-cognitivas do primeiro ao quarto ano do curso, conforme disciplinado pelo CNE”.

Com informações da Agência Brasil

Vacina da Pfizer é aprovada e imunização começa semana que vem no Reino Unido

Nesta quarta-feira (2) foi anunciado pelo ministro da saúde britânica, Matt Hancock, que os cidadãos do Reino Unido serão vacinados a partir da semana que vem. A vacina BNT162b2 produzida pela Pfizer obteve eficácia de 95%.

A vacina que foi aprovada na fase três, ainda não passou por uma revista científica que analisa os dados por pares. A Ptizer também está sendo testada no Brasil, porém a possibilidade de ser adquirida é baixa, para que o imunizante mantenha suas propriedades ativas é necessário que seja armazenado em temperatura -70°C, o país prioriza um imunizante que possa ser mantido entre 2° a 8° C,  pois essa é a temperatura da estrutura usada no sistema de vacinação brasileiro.



O secretário de vigilância em Saúde da pasta, Arnaldo Medeiros, afirma que o Brasil irá obter a vacina liberada pela Anvisa seguindo os critérios necessários, “(…) que ela confira proteção contra a doença grave e moderada, que ela tenha elevada eficácia, que ela tenha segurança, que ela seja capaz de fazer uma indução da memória imunológica, que ela tenha possibilidade de uso em diversas faixas etárias, e em grupos populacionais. E que, idealmente, seja feita de dose única, embora muitas vezes isso talvez não seja possível, só seja possível em mais de uma dose, mas, fundamentalmente, que ela seja termoestável por longos períodos, em temperaturas de 2°C a 8°C. Por quê? Porque a nossa rede de frios, nessas 34.000 salas, é montada e estabelecida com uma rede de frios de aproximadamente 2°C e 8°C”, pontua.

A Ptizer segue fora de alcance no Brasil, primeiramente por seu armazenamento, e o custo benefício da vacina chega a ser até 5 vezes mais cara que e a vacina de Oxford, que será produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Este conteúdo é resultado do trabalho rigoroso e dispendioso de apuração, checagem e investigação do jornalista Claudio Campos e/ou da Agência 2CNews. Você pode republicar este conteúdo. Todas as republicações devem trazer o nome da agência (Agência 2CNews) e do autor (Claudio Campos) com destaque, na parte superior do textos.