- 00:00:00

‘Casos pequenininhos de corrupção podem acontecer em qualquer governo’, diz Olavo de Carvalho

Em recente entrevista para a BBC Brasil, Olavo de Carvalho admite corrupção no caso Queiroz. O foco de tensão policial no inquérito seria a apuração de Fabrício Queiroz -amigo pessoal do presidente e ex-chefe de gabinete de seu filho, Flávio Bolsonaro-  e operava um esquema de “rachadinhas”, segundo investigadores, assessores eram empregados de fachada e devolviam o dinheiro público que recebiam como salário para Queiroz. 


Reprodução



“Em primeiro lugar, o Queiroz não é filho do Bolsonaro, o Queiroz foi um chofer do cara! Então eu tenho um chofer que é ladrão e eu sou o culpado agora?”, questiona Olavo.
CORONAVÍRUS
Em relação a pandemia de coronavírus, o escritor é contra as medidas de isolamento social e ao uso de máscara. Olavo chega a duvidar da contabilidade das mortes ao redor do mundo que sejam realmente causadas pelo vírus. Ao falar sobre a cloroquina ele não se estende, medicamento defendido por Bolsonaro como eficaz contra a covid-19, mesmo sem comprovação científica.
“O nível de cura é imenso. No Brasil, o sucesso da cloroquina está mais do que comprovado”, diz.